Month: February 2017

Hospital de Dallas deixa seus transplantados segurarem o próprio coração

heart

Você já imaginou estar com o seu coração, literalmente, nas mãos? Pois um hospital da cidade norte-americana de Dallas, no Texas, está oferecendo essa chance a pacientes que passaram por transplante de órgãos. O Baylor University Medical Center, através de um programa chamado “De Coração”, que existe desde 2014, deixa seus transplantados segurarem os corações após a cirurgia, antes que o órgão seja armazenado para ser estudado mais a fundo – habitualmente, ele é testado, são feitos os registros e, em seguida, ele é descartado.

Com o inusitado programa do hospital de Dallas, mais de 70 pessoas já tiveram a oportunidade de ter em mãos os seus próprios corações. Inclusive, eles puderam ver de fato que ele não é nada parecidos com os habituais desenhos que vemos por aí – nem no formato e muito menos da cor, vermelha.

O que acontece é que, em geral, quando o coração chega nas mãos de seus donos, ele já está acinzentado por conta do formol usado na conservação, também está fatiado para observação ou, então, coberto por uma camada amarela de gordura. Mesmo assim, a emoção toma conta de quem já passou pela experiência inédita.

John Bell foi um dos primeiros a participar do programa, ele descreve o momento como algo chocante – “Aquele primeiro encontro foi emocionante. Eu não consigo explicar, eu só fiquei emocionado quando pude segurar. Era maior do que eu imaginava e a impressão visual que eu tive no primeiro momento foi que parecia um pedaço de rosbife”, conta Bell.

O idealista do projeto – Dr. Roberts

A história toda começou com o patologista cardíaco Dr. William C. Roberts. Desde que começou a trabalhar em Baylor, isso no ano de 1993, ele guarda todos os corações retirados para estudo. O médico patologista já deixava, informalmente, que os pacientes que quisessem vissem o órgão, entretanto, a notícia se espalhou e logo pacientes e outros médicos pediram para se envolver no projeto. Depois disso, finalmente, no ano de 2014, o hospital decidiu instaurar o programa nomeado “De Coração”.

O armazenamento de órgãos é algo raro por conta do seu alto custo, no entanto, Roberts insistiu com a instituição que isso era algo necessário. Armazenar os corações por tanto tempo permitiu que o médico fizesse uma pesquisa mais detalhada sobre as doenças cardíacas, reunindo análise de corações obtidos entre 1997 e 2015.

 


Antecipação da reforma nas escolas de São Paulo

Os alunos do ensino médio podem escolher itinerários de estudo, aulas extras que eles podem optar por quais iram estudar e projetos interdisciplinares que ajudam a se aproximarem do mercado de trabalho.

Na escola Lourenço Castanho, em Moema, na zona sul da capital, os alunos escolhem cursos eletivos para fazer no contra-turno. Eles têm diversas opções culturais para escolher exemplo: teatro, grafite, fábrica de aplicativos, marcenaria, entre outros.

O aluno pode cumprir qualquer atividade que ele queira, apenas há uma regra é necessário cumprir a carga horária determinada do curso.

A escola tem um agrande preocupação quanto a reforma irá influenciar na escolha dos alunos. O que já foi aprovado que os alunos, terão de optar por um dos cincos percursos formativo, são eles: (Linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e ensino profissional.)

A escola também quer oferecer ensino profissionalizante, por meio de parceria com colégios técnicos ou em cursos que não exijam muitos recursos. Uma das opções que eles desejam colocar é Administração ou jornalismo, pois não demandam muitos recursos financeiros.

O Humboldt também oferece curso profissionalizante, que segue modelo alemão. Ao concluir o ensino médio, os alunos podem optar para o curso, e fazer estágio com empresas parceiras e depois terá um mês de aulas sobre área. Esse tipo de modelo de estudo, eles não sabem se atende à reforma. Eles precisaram esperar para ver se esse tipo de reforma atende a regulamentação.

No colégio Visconde de Porto Seguro, no Morumbi, zona sul, os alunos podem optar em fazer o ensino médio regular ou se preferir podem fazer o curso técnico em comércio exterior. Este curso é voltado para ajudar os alunos a ter um bom trabalho em equipe.

O colégio pensa em oferecer outros cursos técnicos no mesmo modelo para os alunos. Quando se faz uma escolha de qual curso você quer estudar, isso ajuda a motivar os alunos, pois eles terão conhecimentos da área em que pretende atuar. Mas é claro que, não devem deixar os alunos perder a formação e conhecimento das áreas que não escolheram para o seu percurso.

A reforma do ensino médio foi aprovada pelo senado dia 8 – O presidente Michel Temer afirmou que deve sancioná-la o ‘mais rapidamente’. As mudanças passarão a valer um ano após a aprovação da Base Nacional Comum Curricular, que dessa forma eles saberão o que os alunos deveram aprender em cada etapa.

Essa forma de ensino ajudará muitos alunos a ter um conhecimento melhor na área que eles querem para o seu futuro, esse tipo de ensino irá motiva-los estudar, um conhecimento a mais para o currículo dos alunos. Essa ideia irá proporcionar um bom ensino médio aos alunos, serão profissionais muito mais capacitados para o mercado de trabalho.

 

 

 


Organização em prol da participação política feminina tem brasileira Luciana Lóssio na presidência

A forte discussão acerca da igualdade de gênero, com a conquista de espaço na sociedade pelas mulheres, iniciou-se no século XX, porém está distante de se encerrar. Disparidades entre os sexos ainda persistem, com mais ou menos intensidade, entre diferentes países. Quanto a realidade brasileira essa desigualdade é prevalente em diferentes âmbitos, por exemplo no que diz respeito à participação política. Exatamente, devido a essa situação a recém-criada Associação de Magistradas Eleitorais Ibero-Americanas tem no cargo de presidente a brasileira Luciana Lóssio.

Uma das decisões realizadas na VII Reunião Ibero-Americana de Magistradas Eleitorais, a fundação da organização tem como finalidade viabilizar e fomentar ações em favor dos direitos femininos na participação política. As reuniões, nas quais ocorrem debates sobre igualdade de gênero e direitos políticos, já ocorriam há alguns anos. No entanto, nessa edição decidiu-se pela criação de uma instituição que pudesse fornecer maior subsídio legal para a atuação. O mandato de presidência da Associação tem duração de cerca de um ano, até a próxima edição do evento, no qual Luciana Lóssio deverá ser sucedida por alguém do país sede.

A própria escolha do país que sediará a próxima edição do evento tem caráter militante na discussão sobre igualdade de gênero. Usa-se a atenção atraída pela Reunião, na qual há participação de figuras administrativas nacionais e internacionais importantes, para suscitar o debate social sobre a questão. Dessa forma, a realização da VII edição no Brasil – realizada em Brasília nos dias 17 e 18 de março de 2016 – destaca os baixos índices de participação feminina na política. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral, no qual Luciana Lóssio é ministra, no pleito de 2014 houveram, contando os cargos de deputado e senador, apenas 54 mulheres eleitas. É válido lembrar que no Congresso Nacional há 513 cargos de deputados federais e 81 cargos de senadores.

É nesse sentido que a instituição presidida por Luciana Lóssio pretende atuar. A Associação de Magistradas Eleitorais Ibero-Americanas agirá em duas frentes: em ações afirmativas capazes de promover a participação política das mulheres; e no combate à obstáculos, direta ou indiretamente, responsáveis por manter essa desigualdade na composição dos cargos políticos. No Brasil, a Lei Eleitoral já estabelece algumas ações no sentido da igualdade de gêneros, como a composição do partido de no mínimo 30% de cada sexo e parte do seu comprometimento orçamentário com o fomento à participação feminina.

Encerrado com a assinatura da Declaração de Brasília, um documento contendo 23 tópicos nos quais protagoniza o compromisso com a busca por mais igualdade política, a Reunião decidiu que o próximo país sede será o Uruguai. Nesse ínterim, esperasse ver a repercussão das discussões do evento em todos os países signatários. Especialmente no Brasil, com Luciana Lóssio à frente da Associação de Magistradas Eleitorais Ibero-Americanas, há grandes expectativas de que os resultados na questão devem ser expressivos, o que poderá ser colocado à prova no pleito de 2018. Conquistar a igualdade de participação feminina nos cargos políticos é uma das conquistas necessárias para dar continuidade a consolidação da recente democracia brasileira.

 

 


Jovens e DST: Preocupação constante

É cada vez maior o número de jovens infectados por doenças ligadas à prática sexual. Embora estejamos vivendo em um mundo sobrecarregado de informações, torna-se cada vez mais fácil encontrar adolescentes começando a vida sexual muito cedo e muito difícil encontrar estes jovens realmente preocupados e conscientes das consequências que uma relação sexual negligente e desprotegida pode acarretar.

Em um mundo conectado, a busca por orientações e cuidados com as DSTs parecem perder espaço para a necessidade de ganhar prestígio entre os demais provando sua masculinidade ou para os games, celulares, músicas que incitam a violência ou o sexo casual e descompromissado.

Como consequência, a gravidez precoce e doenças como aids e sífilis vêm crescendo entre aqueles que precedem uma geração aparentemente esmagada pelo excesso de informação e cega pelo consumismo exacerbado.

Em uma das pesquisas feitas pelo Ministério da Saúde mostrou que mais da metade dos jovens entrevistados ( 6 em cada 10) deixaram de usar preservativo nas últimas transas. Embora praticamente todos reconheçam a camisinha como um meio eficiente para evitar doenças e gravidez indesejada, muitos simplesmente a ignoram quando estão diante do momento do ato.

Além do fato de não terem presenciado as décadas em que a AIDS matou muitas pessoas – incluindo bastante gente famosa-, a juventude parece desconhecer o valor do cuidado consigo e com o parceiro. As meninas, geralmente por medo de perderem seu companheiro, cedem ao desejo deles de transar sem o preservativo e se deixam levar pelo calor da emoção, não considerando a possibilidade contrair o HPV,AIDS,gravidez ou até mesmo a morte em alguns casos.

Apesar de muitas campanhas terem feito parte da tentativa de minimizar a propagação das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), ainda há por outro lado, uma contribuição negativa no que tange a qualidade de conteúdo de algumas mídias ligadas à apreciação do público jovem, que no intuito de vender, ignoram total ou parcialmente os cuidados com a qualidade das informações presentes em seu meio de comunicação.

Há, portanto, a necessidade da família manter firmes seus ideais e buscar minimizar ou romper qualquer possível barreira no diálogo e orientar seus filhos para uma vida sexual consciente e protegida.

 


Museu do Louvre, em Paris, é alvo de ataque de homem armado

Sob estado de alerta desde 2015, Paris sofre atentado terrorista contra militares em um dos pontos turísticos mais famosos do mundo

 

louvre

 

“Ataque terrorista por natureza”, diz primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve

O dia 3 de fevereiro foi marcado por mais um ato terrorista que veio contribuir para o estado de alerta em que a França se encontra desde 2015.

Aproximadamente às 10h, em Paris, um homem armado com pelo menos uma faca e carregando duas mochilas desceu na praça do Carrossel seguindo em direção ao Louvre causando grande alvoroço. Ao avançar rumo aos policiais que faziam patrulha no local gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande, em árabe). Depois de ferir levemente na cabeça um agente de polícia, Abdallah El H, 29 anos, egípcio identificado como autor do atentado, foi atingido por cinco disparos. De acordo com o chefe de polícia Michel Cadot, “o soldado mais próximo (ao agressor) atirou cinco vezes e o feriu gravemente, sobretudo por um disparo na barriga”. Apesar do grave estado inicial, o acusado não apresenta mais risco de morte.

Mesmo havendo detido uma segunda pessoa com atitudes suspeitas, a justiça não sabe se a ação de Abdallah foi realizada por conta própria ou sob orientações de algum grupo terrorista.

Durante o ocorrido, além da evacuação dos museus do Louvre e Orsay, foi, também, limitado o fluxo de pessoas que passam pela estação do metrô e localidades próximas ao local.

Reabertura do Museu e atenção dobrada

No dia seguinte ao atentado, o famoso Museu do Louvre, que abriga importantes obras artísticas e relíquias arqueológicas, foi reaberto às 9h30. Na tentativa de voltar a sua rotina habitual de atender aos inúmeros visitantes que chegam ao local, as lojas da galeria também retomaram suas atividades normalmente.

Diante do nível elevado das medidas de seguranças adotadas pelo país, além das revistas em bolsas e mochilas antes da entrada no museu, policiais armados de metralhadoras e fuzis fizeram a vigilância do local, com atenção dobrada em quaisquer tipos de atitudes suspeitas.

Estado de alerta e turismo prejudicado

Os últimos ataques violentos têm afetado drasticamente o turismo local. Desde os atentados praticados em novembro de 2015, ocorridos em diferentes pontos de Paris, que deixou cerca de 130 mortos, a França vem seguindo em estado de alerta. Segundo dados apresentados, de 2015 para 2016, houve uma redução de 14,5% no fluxo de turistas do país. Depois dos atentados em julho do ano passado, foi apontado pelo Louvre uma queda de aproximadamente 20% no número de visitantes em comparação com o ano de 2015.


Comentando os mitos do empreendedorismo – com Flavio Maluf

Hoje em dia, início de 2017, a ideia de tornar-se um empreendedor é basicamente um pensamento comum. Existem críticas e, por outro lado, apoiadores fervorosos do seguimento chamado empreendedorismo de palco. Mas é preciso ficar atento, para não cair no conto do vigário, quando o assunto é sua carreira profissional. Por isso Flavio Maluf selecionou uma matéria publicada em 2009, no site Saia do Lugar, que trata sobre os maiores mitos do empreendedorismo atual.

O site traz uma lista especificando algumas falácias que são passadas aos futuros empreendedores, mas que não passam de mentiras ou, no máximo, meias verdades provindas do senso comum. Aqui, porém, separamos por áreas para facilitar sua vida.

-Mitos do Início de carreira

Flavio Maluf reporta que no início da matéria são tratados temas relacionados com a formação do empreendedor. Desde já é importante desconstruir a ideia de predeterminação, ou o mito das pessoas que nascem empreendedoras.

Ninguém nasce predestinado, ou completo. Com os empreendedores não é diferente.

O que acontece são que algumas pessoas desde pequenas têm mais facilidade com a comunicação, por exemplo, ou são mais extrovertidas, mas isso não é determinante.

-Mitos de preparação

Agora devemos desconstruir a ideia de que os empreendedores são completamente independentes, ou autossuficientes.

Ninguém constrói nada sozinho, ou é completamente independente.

Flavio Maluf destaca o trecho da notícia, pois é bastante comum as pessoas querem tornar-se empreendedoras para fugir dos patrões, ou de alguma dependência externa. Infelizmente nada disso é possível, mas isso não é uma coisa ruim.

Primeiro que é possível ser empreendedor no seu próprio emprego. E, segundo, que no mundo globalizado, melhor que a independência é a interdependência. Onde cada um reconhece o seu papel e reconhece que é preciso uma cooperação, seja econômica ou social.

-Mitos de originalidade ou genialidade

Não há uma única maneira de ser empreendedor. Flavio Maluf reconhece que existem pessoas geniais, com ideias completamente inovadoras, mas mesmo um dos maiores gênios na área do empreendedorismo, que foi Steve Jobs, na época da invenção do Iphone, não criou nada do zero.

Quer dizer, as tecnologias estavam disponíveis e ele estava preparado para misturá-las em uma só. A primeira vista essas invenções parecem absolutamente originais, mas, na verdade, tudo é fruto do próprio tempo.

-Mito da efetividade e do sucesso

Flavio Maluf noticia o fato que está escrito na matéria que muitas pessoas acham que todos os empreendedores são ricos e bem-sucedidos. O que vemos na mídia são os casos de sucesso, mas muito pouco é falado sobre os milhares (para não dizer milhões!), de empreendedores que não se tornam milionários.

E nem citamos aqui os que fracassam, mas sim os empreendedores que tem seu negócio normal, cumprem suas próprias metas e até tem uma condição financeira satisfatória, mas não necessariamente são grandes players em suas áreas.

Ainda existem muitas falsas ideias para serem combatidas ou desconstruídas. De qualquer forma, para quem pretende empreender, hoje existe muita fonte de informação, mas é preciso ter cuidado.

Fonte: http://bit.ly/2ktcYGp 

 


Crise afeta Carnaval na Bahia e alguns blocos ficam de fora

Este ano de 2017 alguns trios tradicionais do carnaval da Bahia vão ficar de fora da grande festa. Até mesmo a banda Chiclete com banana divulgou essa semana que não entrará na folia com seu blocos tradicionais.

Todas as bandas que anunciaram suas desistências do carnaval 2017 citaram a situação econômica como principal razão para não participar da grande festa baiana. A recessão econômica logico afetou vários patrocinadores, dificultando assim manter uma normalidade nos eventos do carnaval da Bahia.

E até mesmo no carnaval carioca houve redução de gastos com a sapucaí e os blocos de rua. Com a redução dos patrocinadores, haverá uma clara modificação no evento em geral.

Em comunicado em seu site oficial a banda Cheiro de amor divulgou que este ano os blocos Cheiro e Yes, não iriam as ruas. Mas mesmo sem os blocos a banda afirma que não vai ficar fora do carnaval brasileiro, e que vai sair no trio sem cordas no Circuito Osmar em Campo Grande.

A nota publicada também em suas redes sociais explica aos fãs de uma das mais queridas atrações do carnaval de rua baiano sua situação atual. Na publicação a banda explica que devido a crise econômica e os novos caminhos que a folia tem tomado para continuar suas festividades, o grupo encontrou muitas dificuldades para conseguir o patrocínio necessário, portanto tiveram que desistir de seu bloco esse ano.

Já a banda Chiclete com banana declarou em nota que não tem a intenção de sair com o seu bloco tradicional, Nana Banana, que desfila nas ruas de Salvador desde os anos 90. A banda também afirmou que não participará de nenhum trio ou de qualquer outro bloco de rua.

O empresário do grupo Diney Azevedo confirmou que apesar do nome da banda aparecer na agenda de shows e eventos do carnaval 2017, a banda tomou a decisão de não se apresentar depois da divulgação das datas. Diney também declarou que a falta de patrocínio atrapalhou os planos da banda este ano.

A banda noticiou que somente se apresentarão no camarote Salvador e Nana, no Circuito Barra Ondina.

O bloco Araketu que sempre saia nas ruas no sábado, domingo e terças-feiras, também disse que está sem patrocinadores e que não vai conseguir sair as ruas com o seu bloco oficial este ano. Mesmo assim o Araketu vai fazer parte do carnaval se apresentando em um trio sem cordas no Circuito Dodô.


Terminou o motim na Penitenciária de Alcaçus

Após o motim que ocorreu na penitenciária Estadual de Alcaçuz, no estado de Rio Grande do Sul, os agentes do esquadrão Força-Tarefa conseguiram terminar com o mesmo na sexta-feira, dia 27 de Janeiro, passados 14 dias desde o início da rebelião na penitenciária na cidade de Grande Natal. Esta penitenciária é considerada a maior penitenciária do Estado de Rio Grande do Sul e abriga cerca de 1,1 prisioneiros. Devido ao motim que surgiu no dia 14 de Janeiro, surgiram os primeiros momentos de tensão com vários confrontos entre presos e terminaram com várias mortes e feridos.

A operação foi titulada como “operação Phoenix” e contou com 78 agentes altamente especializados para intervenções deste tipo que provinham dos mais variados locais como o Rio de Janeiro, Ceará, São Paulo, ou do Distrito Federal. Os Agentes de Operações Especiais também colaboraram com a missão e, no final, a mesma resultou na apoderação de uma arma, centenas de armas brancas e ainda 30 celulares. Segundo fontes do Estado Brasileiro foram guiados cerca de 120 prisioneiros para uma unidade montada de propósito por terem em sua posse material ilícito.

Os agentes do esquadrão Força-Tarefa focaram as suas atenções nos pavilhões 4 e 5 por terem sido os palcos de maiores conflitos durante estas duas semanas de motins na penitenciária. Tudo surgiu quando alguns membros do Primeiro Comando da Capital saíram do espaço que habitam para assassinar os seus rivais no pavilhão 4. Nesse sábado morreram cerca de 26 pessoas naquele recinto. Segundo fontes, a penitenciária iria sofrer obras de reparação para trazer maior segurança ao recinto prisional, como por exemplo a construção de uma cerca do lado externo e a construção de um muro que separe os pavilhões 1, 2 e 3, dos pavilhões considerados mais violentos (pavilhões 4 e 5).

No entanto as más notícias não ficam por aqui e o governo já confirmou a fuga de cerca de 56 prisioneiros e outros 20 detentos estão em situação incerta uma vez que podem ter escapado ou largado o recinto prisional sem que a administração tenha feito o controlo. Até ao momento não existem dados exactos acerca do total de mortes e feridos que o motim provocou.

 


Copa Star, uma experiência de Medicina capaz de compreender seus pacientes

A prática médica, bem como a própria conceituação de saúde, tem passado por uma revolução nas últimas décadas no que diz respeito à compreensão do paciente, que deixou de ser observado apenas sob uma perspectiva exclusivamente biológica para ser visto sob um viés mais holístico, compreendendo o complexo processo de adoecimento e de cura. Essa mudança, que implica em preocupações além dicotomia saúde-doença, foi captada pelos grandes hospitais, que se prepararam para proporcionar a melhor experiência possível para aqueles que recebem. Essa é uma das premissas do Copa Star, pertencente à Rede D’Or São Luiz.

O surgimento da Rede D’Or foi fruto do desejo de prover uma nova experiência médica, capaz de não somente suprir as demandas de saúde, mas de fazê-lo da melhor forma possível no atendimento médico e estadia hospitalar. Iniciado a partir da parceria entre o cardiologista Jorge Moll Filho e o então dono do hotel Copa D’Or, o primeiro hospital da Rede, voltado aos moradores da Zona Sul carioca, já contava com a conjugação entre os serviços modernos de medicina e o atendimento capaz de fornecer segurança e conforto. Essa característica foi preservada pela Rede e pode ser observado no Copa Star, também situado na cidade do Rio de Janeiro.

Esse primeiro hospital, que foi o resultado da conversão do então Hotel Copa D’Or em ambiente hospitalar, foi uma das iniciativas de Moll em entrar no ramo de hospitais particulares. Concomitante ao processo de licenciamento do primeiro empreendimento, o cardiologista tornou-se cotista em um hospital em construção na Barra da Tijuca, que, posteriormente, passou a constituir a rede.

A expertise empregada hoje no funcionamento do Copa Star, no qual desde sua arquitetura aos processos internos foram pensados para melhor experiência do paciente, se observa desde os primórdios da Rede D’Or São Luiz. Nesse período em que começou a investir no setor, Moll foi conhecer a clínica Mayo, nos Estados Unidos, que já era referência na prestação desse tipo de serviço.

Outro crescimento da rede proprietária do Copa Star, composta por 27 hospitais particulares, ocorreu com da entrada do banco de investimento BTG Pactual como um dos sócios da Rede D’Or, no ano de 2010. A partir dessa parceria, acrescentaram-se uma série de outros hospitais privados, de modo que hoje a Rede está distribuída no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Pernambuco. Essa adesão foi além de apenas um investimento financeiro e instituiu na Rede uma cultura de gestão mais ambiciosa e ávida por crescimento, o que se traduziu também na contratação do experiente Heráclito Brito, em 2013, para assumir o grupo hospitalar.

A expansão da rede não se encerra nas aquisições já realizadas, até então no eixo Rio-São Paulo. Outros investidores estrangeiros, no caso o fundo de private equity americano Carlyle, já sinalizaram interesse em fazerem parte da Rede D’Or. Essa nova parceria, certamente, fortalecerá o crescimento para outras cidades brasileiras em busca de atender a demanda da população por uma Medicina moderna, atendimento multidisciplinar e preocupação com o bem-estar do paciente e de seus acompanhantes, experiência que o Copa Star oferece em Copacabana, no Rio de Janeiro.

 


Intervenção federal em presídios obtém primeiros resultados

Mais uma página da longa história da crise penitenciária nacional foi escrita esta semana. Uma força tarefa encabeçada por tropas do Governo Federal, em parceria com o GOE – Grupo de Operações Especiais – da polícia do Rio Grande do Norte conseguiu entrar no agora afamado presídio de Alcaçuz.

A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, localizada em Nísia Floresta, região metropolitana de Natal, voltou a ser pauta do noticiário nacional e internacional após a rebelião do último dia 14 de janeiro, na qual ao menos 26 detentos foram mortos. O conflito entre os detentos é mais um dentre os vários que assolaram o país nos primeiros dias de 2017, e também tem a mesma motivação: a disputa de poder e prestígio entre presidiários de facções rivais, que disputam também o monopólio da venda de drogas na região. Os principais envolvidos na questão são, de um lado, os presos da facção Primeiro Comando da Capital, o PCC, grupo originário do Estado de São Paulo, mas que se espalhou por outras partes do sistema prisional nacional e do outro os diversos grupos das regiões Norte e Nordeste, como Okaida e Família do Norte. A guerra entre estas pelo controle do tráfico de entorpecentes é um dos principais motivadores dos conflitos.

Segundo a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania, a SEJUC, além dos graves conflitos, inúmeras destruições e dezenas de mortes, o presídio também teria registrado a fuga de ao menos 50 detentos ao longo dos dias de rebelião.

A intervenção Federal, que vinha sendo discutida pelo Ministério da Justiça desde o dia 1°, quando uma rebelião no Complexo Prisional Anísio Jobim, de Manaus, deixou mais de 50 mortos, vem de encontro à uma necessidade do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, incapaz de lidar sozinho com a crise carcerária. A ação federal resultou em grande apreensão de equipamentos proibidos, como facas, armas de fogo, celulares e drogas.

A crise no sistema prisional brasileiro não é recente. Os números apontam superlotação na imensa maioria das instituições, e as constantes fugas, como a ocorrida na última semana em Bauru, trazem a tona um problema grave, passível de exploração na próxima corrida eleitoral, que se aproxima. As propostas de resolução do conflito, que até à pouco estavam restritos ao campo do diálogo, passam agora ao estágio mais prático, com presença intensa de agentes que buscam, se não a pacificação completa do sistema, ao menos uma maior tranquilidade para os agentes penitenciários, familiares dos detentos e dos próprios apenados, que podem tentar cumprir sua parte no longo processo de ressocialização.